Escolha uma Página

Sinopse

Joel Silveira tinha 26 anos quando foi escalado para cobrir a Segunda Guerra Mundial pelo “Diário dos Associados”. “Você vá, mas não me morra!”, foi o que ouviu do dono do Jornal, Assis Chateaubriand, ao ser enviado para a Itália. O jornalista chegou à Europa no terrível inverno de 1944, e durante nove meses acompanhou a luta dos brasileiros até a rendição alemã. Joel descreveu momentos cruciais do combate com um texto ao mesmo tempo lírico e informativo: “confesso que não foi exatamente por delicadeza que naqueles nove meses perdi uma parte da minha mocidade, ou o que restava dela. A guerra é nojenta, e o que ela nos tira, quando não nos tira a vida, nunca mais devolve.”

Ficha

  • Editora: Objetiva
  • Autor: JOEL SILVEIRA
  • ISBN: 8573026839
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2005
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 176
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Médio
  • Complemento: Nenhuma

Minha Opinião

Acabei de ler este livro e o achei bastante interessante pois o autor narra os fatos com  propriedade pois ele próprio foi testemunha ocular dos horrores da II Guerra.

Algumas coisas que me chamaram a atenção no texto:

  • Maços de cigarro / chocolate / roupas durante as guerras são objtos de troca e muitas vezes valem mais do que dinheiro;
  • A demagogia dos que estão longe do front de batalha é uma afronta aos combatentes que realmente sabem o que está acontecendo;
  • O Diabo está presente em todas as guerras;
  • A Guerra é nojenta

colin+cosmo+e+os+supernaturalistas

Comprar com Desconto